Faça você mesma: como montar a sua horta caseira

Está pensando em cultivar o seu próprio alimento, mas tem pouco espaço na sua casa? Então acompanhe as nossas dicas que vamos te ajudar a montar a sua horta caseira até mesmo em pequenos espaços

Ter uma horta caseira é muito fácil e qualquer um pode fazer. Além de ter o prazer de cultivar o seu próprio alimento, cuidar da sua própria plantação também reduz seus gastos mensais de supermercado. E, sem dúvidas, os alimentos produzidos em casa são muito mais saudáveis, livres de agrotóxico e muito mais saborosos.

Não tenho espaço em meu apartamento, posso ter uma horta caseira?

Claro que sim! Para montar uma horta caseira, não é necessário ter um grande quintal. Em uma pequena varanda já é possível cultivar temperos, legumes e hortaliças (como alface, alecrim, manjericão e tomate, que são fáceis de cuidar). Você precisa somente de um espaço que receba sol pelo menos em um período do dia.

Horta caseira vertical é uma ótima opção para quem tem pouco espaço.
Horta caseira vertical é uma ótima opção para quem tem pouco espaço.
Outra opção de horta vertical.
Outra opção de horta vertical.

 

Como fazer a minha própria horta caseira?

Para fazer sua a horta, você vai precisar de
– uma jardineira
Horta caseira jardineira

– argila expandida
Horta caseira argila expandida

– terra preta
Horta caseira terra preta

– manta de bidim
Horta caseira manta de bidim

– uma pá pequena e tesoura.
Horta caseira pá
Horta caseira tesoura

Esses materiais são facilmente encontrados em lojas de jardinagem, é só procurar a mais perto de você. Usar garrafas pet ou canos de pvc no lugar da jardineira são alternativas mais baratas e que funcionam muito bem.

O que pode ser plantado na horta?

Você pode escolher entre mudas ou sementes. A muda permite a colheita mais rápida, enquanto as sementes demoram pelo menos sete dias para passar pelo processo de germinação. Outras opções que também podem ser facilmente cultivadas em casa são hortelã e orégano.

Ah! Não se esqueça de regar a sua horta pelo menos uma vez por dia.

Faça a sua própria horta caseira!
Faça a sua própria horta caseira!

Muito fácil não é mesmo? Cultivar a sua horta caseira é um ato de bondade com o meio ambiente – e nós apoiamos e adoramos

Inverno quentinho com lã sustentável Aurora

Nossa lã é sustentável, tingida naturalmente e tricotada a mão

Nosso dna é a lã! A Aurora Moda Gentil nasceu da paixão pela lã sustentável e natural, do respeito pelos animais e da vontade de fazer um mundo melhor! O resultado de tudo isso você encontra nos nossos produtos:

Nossas peças quentinhas são feitas com lã sustentável.
Nossas peças quentinhas são feitas com lã sustentável.

Tingimento: Usamos apenas corantes e pigmentos naturais para dar cor e brilho aos tecidos, sem agredir o meio ambiente. Buscamos no tingimento vegetal uma forma de economizar água, resgatar uma forma de trabalho tradicional e valorizar as belas cores que a natureza pode nos emprestar. Além disso, esse método de tingimento torna as peças únicas e exclusivas.

Usamos apenas corantes naturais para tingir nossas peças feitas com lã sustentável.
Usamos apenas corantes naturais para tingir nossas peças feitas com lã sustentável.
Cachecol quetinho feito de lã sustentável para te aquecer no inverno.
Cachecol quetinho feito de lã sustentável para te aquecer no inverno.
Peças exclusivas de lã sustentável feitas à mão.
Peças exclusivas de lã sustentável feitas à mão.

Feito à mão: Nossos produtos são feitos à mão por artesãs de Dom Pedrito além de fornecerem a mão de obra para as peças em tricô, recebem apoio e assistência social com uma remuneração justa. Através da especialização do trabalho empoderamos redes de mulheres que estão em nossa cadeia produtiva.

Nossas artesãs de Dom Pedrito.
Nossas artesãs de Dom Pedrito.

Faça parte da nossa família. A moda pode ser um poderoso instrumento de transformação social e cultural.

Espiritualidade e consumo: como comprar influencia em nosso lado espiritual

Sabia que nossos hábitos de consumo estão ligados com o nosso equilíbrio espiritual? Se você quer saber mais como funciona a relação entre espiritualidade e consumo, vem com a gente:

Espiritualidade e consumo estão intimamente ligados. Consumir reflete as nossas crenças e valores de vida, e os nossos hábitos de compra também são influenciados pelo que acreditamos.

De acordo com pesquisadores, consumir pode ser uma experiência sagrada e transcendente. Por exemplo, em vez de buscar essa transcendência na religião, os consumidores a encontram nas compras. Além disso, eles dão significados muito maiores para os objetos que compram, e não os vêem como simples objetos.

Espiritualidade e consumo.
Espiritualidade e consumo.

Por isso, as pessoas encontram espiritualidade em qualquer tipo de consumo. Por exemplo, ao comprar por achar que merece aquilo como prêmio, o consumidor relaciona-se com as compras de maneira recompensadora. Ou, quando está se sentindo mal e quer preencher algum vazio, ele compra como válvula de escape para seus problemas.

Com isso, esse “prêmio” carrega em si uma características de espiritualidade. Comprar é um símbolo de felicidade, de bem-estar e, por outro lado, é também a solução de uma tensão.

Devemos buscar a espiritualidade dentro de nós mesmos.
Devemos buscar a espiritualidade dentro de nós mesmos.

O que devemos buscar é a espiritualidade dentro de nós mesmos, sem depender de algo externo para sentir alegria. Isso vale também para aquilo que nós compramos: é fundamental ter consciência do que estamos adquirindo, se o produto tem qualidade e se a sua produção é sustentável. Isso também está intimamente ligado com a espiritualidade, sendo que aquilo que consumimos reflete diretamente em nossas crenças e valores.

Nossos hábitos de consumo estão diretamente relacionados com o nosso equilíbrio espiritual.
Nossos hábitos de consumo estão diretamente relacionados com o nosso equilíbrio espiritual.

Quando nos sentimos bem com nossos hábitos e consumimos produtos que realmente fazem sentido para a nossa vida, o equilíbrio espiritual entra junto com esse pacote de ações e energias positivas.

E você, concorda que nossos hábitos de consumo influenciam em nossa espiritualidade? Conta pra gente nos comentários.

Dica de sustentabilidade: como reaproveitar as roupas que não uso mais?

Sabia que você pode reaproveitar suas peças de roupas antigas e transformá-las em novos objetos? A gente te conta essa dica de sustentabilidade com detalhes:

Você já separou diversas peças de roupas do seu armário que não usa mais, e ainda não sabe o que fazer com elas? Algumas estão muito velhas para serem doadas, outras não valem a pena vender, e outras simplesmente guardam aquele seu carinho especial. Pois você sabia que pode reaproveitar qualquer tipo de tecido que tem na sua casa!? Isso mesmo! A dica de sustentabilidade de hoje é como utilizar essas peças antigas novamente.

Dica de sustentabilidade: aproveite as peças de roupa que você não usa mais.
Dica de sustentabilidade: aproveite as peças de roupa que você não usa mais.

Quando reaproveitamos os tecidos das roupas que não usamos mais, além de evitar que as estampas mais bonitas acabem no lixo, também estamos cuidando do meio ambiente.

E é possível, sim, reaproveitar os seus tecidos, basta dar uma nova função àquelas peças. Veja algumas dicas de sustentabilidade que podem transformar as suas roupas antigas em novos objetos cheios de estilo:

1- Você pode cortá-las em retalhos e uní-los em um patchwork, para ser usado como colcha, manta, jogo americano ou tapete;

Tapete de retalhos.
Tapete de retalhos.

2- Você pode costurar vários retalhos e fazer um lindo jogo americano;

Jogo americano.
Jogo americano.

3- Deixe o seu abajur antigo novinho em folha ao reformar a sua cúpula com o tecido de uma ou várias roupas antigas;

Abajur de retalhos.
Abajur de retalhos.

5- Para deixar seus cabides ainda mais bonitos e antiderrapantes, cubra-os com amarrações de tiras de tecidos de roupas antigas;

Cabide de retalhos.
Cabide de retalhos.

6 -Você pode fazer um porta-lenços estiloso com os retalhos das suas roupas sem uso;

Porta-lenços feitos com roupas antigas.
Porta-lenços feitos com roupas antigas.

7- Use os tecidos das roupas que não poderão ser doadas para fazer ecobags, bolsas, nécessaires e porta documentos;

Bolsa de retalhos.
Bolsa de retalhos.

8- Personalize seu próprio colar usando diversas tiras de blusas de malha amarradas e trançadas.

Dica de sustentabilidade: faça um colar com as roupas que você não usa mais.
Dica de sustentabilidade: faça um colar com as roupas que você não usa mais.

Ufa, são tantas opções! Certamente, alguma delas te conquistou e, vai por nós, também achamos essas dicas incríveis. Ah, depois mostra pra gente como ficaram seus novos objetos feitos com roupas antigas lá nos comentários.

Desinfetante natural – Como fazer o seu?

Uma alternativa para não usar mais produtos de limpeza cheios de agentes químicos é fazer o nosso próprio desinfetante natural em casa, com ingredientes que não poluem o meio ambiente. A gente te mostra duas receitas para fazer em casa:

Existem diversos ingredientes naturais e de fácil acesso que podemos usar como alternativa aos produtos químicos utilizados para faxinar a casa. Além de limparem muito bem, esses ingredientes não poluem o nosso lar. Vamos te mostrar duas receitas de desinfetante natural para você fazer em casa.

Receita 1 – Eucalipto

Ingredientes:
2L de água
1L de álcool de limpeza – de preferência 70º ou mais.
125mL de sabão de coco ralado
Cerca de 20 folhas de eucalipto

Eucalipto
Eucalipto

Como fazer:
– Coloque as folhas de eucalipto em pote de vidro de 1 litro com tampa e complete com álcool;
– Deixe descansar por 2 dias, para que o princípio ativo das folhas seja extraído o que vai promover a ação desinfetante. As folhas irão perder a cor e o álcool ganhará uma coloração verde escura;
– Ferva 500mL de água com o sabão em fogo baixo, mexendo sempre, até dissolver;
– Depois, misture 250mL da mistura de eucalipto com 1 litro e meio de água;
– Seu detergente de eucalipto está pronto!

Desinfetante natural
Desinfetante natural

Receita 2 – Limão

Como fazer:
– Junte as cascas dos limões que você já utilizou anteriormente em um pote de vidro com água;
– Bata essa mistura no liquidificador;

Limão
Limão

– Coe e deixe a mistura fermentar por 24 horas – tempo necessário para ativar a ação desinfetante do limão;
– Depois das 24 horas, acrescente 2 colheres de sopa de álcool e pronto!

Faça o seu próprio desinfetante natural de limão.
Faça o seu próprio desinfetante natural de limão.

Muito simples, não é? Além desses benefícios, os ingredientes usados para fazer os detergentes são muito baratos, e você também estará ajudando o meio ambiente.

Nossas artesãs: conheça um pouco mais de quem trabalha com a gente

A nossa família é formada por artesãs que trabalham com muito amor e carinho na elaboração de cada uma de nossas peças. Vem conhecer um pouco mais da nossa história:

Por meio do trabalho artesanal, conseguimos promover um resgate feminino, através da valorização das artesãs que fazem parte da nossa família.

Prezamos pela qualidade em cada detalhe de nossas peças. Foto - Camila Pinheiro
Prezamos pela qualidade em cada detalhe de nossas peças. Foto – Camila Pinheiro

A maioria das nossas peças são feitas por artesãs da cidade de Dom Pedrito, interior do Rio Grande do Sul. Através de oficinas de capacitação profissional, estimulamos as artesãs a aprenderem mais e a aperfeiçoar suas técnicas. Por isso, todas produzem aquilo que mais tem afinidade e, dessa forma, cada peça é feita com muito mais amor e carinho.

Além disso, a remuneração das nossas artesãs é paga por produto, e não por hora. Isso permite que elas tenham um retorno financeiro justo, além de terem mais qualidade de vida e trabalharem com muito mais prazer.

Cada detalhe de nossas peças é cheio de amor e dedicação das nossas artesãs
Cada detalhe de nossas peças é cheio de amor e dedicação das nossas artesãs
A nossa artesã, Gelcy.
A nossa artesã, Gelcy.

Ah, e você sabia que cada uma de nossas peças é assinada pela artesã que a produziu? Você encontra o nome dela na etiqueta da roupa. Essa é uma forma de levar um pedacinho da história de cada uma.

Aqui no blog, já contamos a história da Gelcy, que aprendeu a tricotar quando ainda era criança. E da Elisete, que além de confeccionar várias peças, ministra os cursos de capacitação das artesãs da Aurora no interior do Rio Grande do Sul.

Em nossa família, nós valorizamos muito o trabalho manual e prezamos pela qualidade de vida das nossas artesãs. Aqui, nós também produzimos peças especiais e cheias de amor!

3 documentários do Netflix para te ajudar a repensar sobre consumo

O Netflix está cheio de conteúdo interessante sobre os mais diversos assuntos. Nós elegemos 3 documentários da plataforma que irão te ajudar a repensar sobre consumo:

Tem muito conteúdo interessante no Netflix, entre filmes, séries e documentários. Hoje, nós vamos te dar dicas de três documentários que vão te ajudar a repensar o consumo, um assunto muito importante e que deve ser questionado em nosso dia a dia.

The True Cost (2015)

O documentário de 92 minutos, dirigido por Andrew Morgan, aborda a indústria da moda e fala sobre o consumo exacerbado, os impactos ambientais das indústrias têxteis e o resultado desse tipo de produção de roupas para o planeta.

Documentários: The True Cost
Documentários: The True Cost

Ele mostra o outro lado do mercado fashion, e é interessante para qualquer público, pois oferece alternativas para esse tipo de consumo. Além disso, ele mostra a importância da gente saber onde nossas peças foram fabricadas e porque devemos nos preocupar com as condições sociais daqueles que as produzem.

Cowspiracy (2014)

Com produção executiva de Leonardo Di Caprio, e dirigido por Kip Andersen e Keegan Kuhn, o documentário mostra como a criação de animais para abate e a pesca predatória são prejudiciais ao nosso planeta.

Documentários: Cowspiracy
Documentários: Cowspiracy

Além disso, o documentário foca nas soluções, naquilo que já existe como alternativa viável para os produtos de origem animal. Ao assistirmos ao longa, notamos quanto o veganismo é vinculado à compaixão animal, mas também tem uma relação direta com a saúde e o meio ambiente.

The Ivory Game (2016)

Também produzido por Leonardo Di Caprio, The Ivory Game (O Extermínio do Marfim, em português) mostra a caça ilegal de elefantes para suprir a demanda por marfim, e como isso está levando os animais à extinção.

Documentários: The Ivory Game
Documentários: The Ivory Game

O documentário foi filmado durante 16 meses na China e na África, com uma equipe de agentes de inteligência, ativistas, guardas florestais, que se infiltraram nessa rede de corrupção do tráfico de marfim.
Ele é fundamental para nos ajudar a pensar de que maneira podemos mudar os nossos hábitos, e a repensar sobre o que e como estamos consumindo.
Você já assistiu algum desses documentários? Conta pra gente o que achou aqui nos comentários, e se eles também te ajudaram a repensar o consumo.

Armário-cápsula: como montar o meu?

O armário-cápsula é uma atitude de consumo consciente em que você reduz o número de peças em seu armário, e também aprende a fazer combinações com as roupas que você já tem. Nós vamos te dar dicas para você montar o seu – e você vai ver que é muito fácil:

O que é o armário-cápsula?

Lembra do nosso post que explicava tudo sobre o armário-cápsula? Essa é uma atitude que sugere mais consciência ao consumir, e te ajuda a diminuir o número de peças em seu guarda-roupa. Por isso, a cada peça nova que entra, é interessante que você tire a mais antiga ou aquela que já não usa muito.

Para começar um armário-cápsula, faça combinações diferentes a cada dia com as roupas que você tem. Outra dica é escolher peças mais duráveis e de qualidade.

Armário-cápsula
Armário-cápsula

Como começar o meu armário-cápsula?
O primeiro passo é selecionar em torno de 40 itens do seu guarda-roupa, de acordo com a estação, e incluir: calças (partes de baixo em geral), blusas (partes de cima em geral), vestidos, casacos e sapatos. Não entram na contagem: jóias e acessórios, bolsas, roupas de academia, maiôs, pijamas, roupas de ficar em casa e lingeries.

  • Usar essa seleção pelos próximos 3 meses.
    Você pode dividir esse tempo por estações – verão, inverno, primavera e outono. É interessante separar uma peça para os dias em que o tempo muda (como jaqueta jeans, suéter e vestido, que servem para todas as estações).
  • Dar um tempo às compras.
    Durante esse período de três meses, é interessante deixar as compras de lado, afinal a ideia do armário cápsula é frear o consumismo.
  • Se for comprar, escolher apenas duas ou três peças.
    Você sentiu falta de algum item? Teve uma peça que você não usou durante os 3 meses? Então, é hora de tirar o que não usou e comprar o que fez falta.

    Como montar o meu armário-cápsula
    Como montar o meu armário-cápsula
  • Ter mais cuidado com as compras.
    Lembre-se que você vai manter a mesma quantidade de peças no seu armário-cápsula, então pratique o desapego: entra uma peça nova, sai uma antiga – que pode ser trocada, doada ou até vendida em brechós.
    Durante essa fase, guarde as roupas ‘excedentes’ em caixas, como os casacos mais pesados que realmente só serão usados no inverno. Alterne as roupas entre caixas e armário durante as estações.

    É muito fácil montar o seu próprio armário cápsula com nossas dicas
    É muito fácil montar o seu próprio armário cápsula com nossas dicas

    Aderir a essa ideia é muito simples, várias blogueiras também contam as suas experiências e dão dicas sobre como elas fizeram seu próprio armário-cápsula, como a Caroline do blog Unfancy.

Viu como é fácil? Basta fazer o teste e perceber que podemos viver, sim, sem precisar comprar e acumular mais e mais roupas. Conta pra gente nos comentários como foi a sua experiência com seu armário-cápsula.

Como descartar pilhas e óleo de cozinha para contribuir com a sustentabilidade

Muitas pessoas não sabem como descartar corretamente pilhas vencidas ou o óleo de cozinha usado de suas casas sem agredir o meio ambiente. Mas, não é difícil – e nós te ajudamos a incorporar na sua rotina e contribuir com a sustentabilidade do planeta

Pilhas
Se descartadas incorretamente, as pilhas podem contaminar o solo, os lençóis freáticos, e causar problemas à saúde e ao meio ambiente. O ideal é procurar coletores presentes na sua cidade, colocados em pontos específicos para promover a sustentabilidade. Outra alternativa é entregá-las ao estabelecimento em que foram compradas.

Como descartar pilhas

Como descartar pilhas

Você pode procurar o local mais próximo de descarte em portais na internet, como no Made in Forest. Basta digitar seu endereço e ele te mostra os pontos de coleta na sua região. Sites de coleta da prefeitura de sua cidade, como o de Porto Alegre, também disponibilizam os locais cadastrados para descarte correto.

Óleo de cozinha
O óleo não pode ser jogado em pias, pois é altamente poluente para as águas, além de entupir os canos da sua casa. Se deseja jogar fora, espere esfriar, guarde-o em uma garrafa e deposite num dos pontos de descarte, semelhante aos das pilhas. O óleo pode ser transformado em ração, detergente, cosméticos, tintas, biodiesel, massa de vidro, etc.
Como descartar óleo de cozinha

O portal eCycle disponibiliza o endereço de vários pontos de descarte

Como reaproveitar o óleo de cozinha?

Sabão:
– 500ml de água;
– 1 litro de óleo de cozinha (coado);
– 250g de soda cáustica.

O óleo de cozinha pode ser aproveitado em casa para fazer sabão
O óleo de cozinha pode ser aproveitado em casa para fazer sabão

Esquente a água, coloque-a em um recipiente resistente e adicione lentamente a soda cáustica. Cuidado! A reação provoca pequenas explosões, evite ficar muito próximo ao recipiente. Por fim, adicione o óleo e mexa por 20 minutos, até ficar consistente. Despeje essa mistura em uma forma, espere secar e depois corte em barras menores.

Vela decorativa

– óleo de cozinha (coado);
– parafina;
– pavio;
– essência (qualquer uma de sua preferência).

Velas decorativas são ótimas opções para reaproveitar o óleo de cozinha usado - e ainda deixam a casa mais aconchegante
Velas decorativas são ótimas opções para reaproveitar o óleo de cozinha usado – e ainda deixam a casa mais aconchegante

Misture o óleo na parafina e derreta ambos em banho-maria. Quando estiver homogêneo, acrescente a essência. Coloque tudo no recipiente escolhido para a vela e, antes de esfriar, coloque o pavio no centro da mistura. Depois, é só esperar esfriar.

Viu como é fácil? Nós apoiamos o descarte correto e incentivamos a reciclagem de produtos. Ajudar o meio ambiente não é difícil, e todos podem fazer a sua parte!

A meditação e o silêncio como uma revolução dos hábitos de vida

Dentro do ritmo acelerado em que vivemos, as pessoas buscam modos de desacelerar e entrar em contato consigo mesmas através da meditação.

Dar um tempo para você mesma, num ambiente calmo e silencioso te ajuda a frear o ritmo intenso da vida cotidiana.
Meditação

Um dos caminhos para encontrar o equilíbrio é a busca pelo silêncio. Ele é uma espécie de revolução, que começa dentro de nós e se expande para o mundo exterior. O silêncio criativo possibilita a formação de ideias que nos ajudam em todas as dimensões de nossa vida. É como se ele fosse a ferramenta necessária para se encontrar inspiração. Ele desperta nossa criatividade autêntica e faz com que tudo se torne mais claro, bem como canaliza os problemas e possibilita que encontremos as suas soluções.
Meditação silêncio

Mindfulness

Muito além da prática religiosa a meditação através do silêncio é um ato cognitivo, que acalma a mente e ajuda nos processos criativos. Uma das técnicas mais conhecidas é o mindfulness que consiste em um método que pode ser aplicado a qualquer pessoa, independente de cultura e ideologias.

O mindfulness é baseado na aceitação das experiências humanas, e não nas reações a essas experiências em si. Ao aceitarmos as condições naturais da vida, desenvolvemos a habilidade de responder à elas de maneira mais criativa e funcional. É nisso que essa técnica se baseia: aceitar, estar atento e reagir sempre de uma forma coerente.
Meditação mindfulness

Imagem: University Health Service

Para que isso seja possível, é necessário estarmos conscientes (mindful) e atentos às nossas respostas e reações. Essa forma de meditação proporciona uma busca por si mesmo, visando aumentar nossa consciência em relação aos nossos atos. Tudo isso contribui para a mudança na maneira como agimos e nos relacionamos.
Mindfulness

Busca a si

Meditar é entrar em contato consigo mesmo e buscar as soluções para os problemas dentro de si. No meio de uma rotina caótica e acelerada, parar um pouco e ficar em silêncio nos ajuda a enxergar as respostas positivas para as adversidades e, dessa forma, contribui para que uma outra rotina – mais consciente – se desperte dentro daqueles que ficam em silêncio.
Meditação

Encontrar paz e harmonia é a chave para uma vida mais equilibrada. Estar tranquila em reação às suas atitudes e escolhas é bom não só para você, mas para todos aqueles que estão ao seu redor. E agora que você já conhece todos os benefícios da meditação, vai começar a meditar quando? Namastê!