Nossa Oficina Maxi Cachecol em POA

Nossas oficinas e kits de tricô e tingimento surgiram do nosso amor por compartilhar.

Dia 04/08 tivemos nossa primeira edição da oficina de Maxi Cachecol em Porto Alegre.

Aconteceu no Complexo de Ideias, uma casa super charmosa e afetiva no coração da cidade baixa – a Rua Sofia Veloso. A casa colaborativa conta com diversas atividades, além de salas para coworking e oficinas diárias.

Quem ministrou a oficina foi a nossa mestre artesã Marlice Rech, ela é responsável pelos nossos lindos cachecóis além de outras peças.

Para tornar esse momento ainda mais afetivo levamos um bolinho caseiro sem farinha e fez muito sucesso, tanto que decidimos compartilhar nossa receita:

Ingredientes:

  • 3 ovos;
  • 1 + 1/2 xícara de açúcar demerara;
  • 1/2 xícara de azeite de oliva;
  • 4 bananas;
  • 1 xícara de aveia em flocos
  • canela a gosto;
  • fermento
  • passas / damasco / castanhas se gostar

Modo de fazer:

Bata os ingredientes no liquidificador, despeje em uma tigela e acrescente a xícara de aveia em flocos e as especiarias que preferir para dar sabor. Acrescente 1 colher de fermento e mexa com amor.  Leve ao forno por 40 minutos.

Depois reúne a família e aproveite com um chá!

Nos contem como ficou o cachecol e o bolo e marque a @sigaaurora nas fotos!

e você, ficou com vontade de aprender alguma peça nossa? Nos escreve e nos conta o que gostaria de saber, quem sabe programamos outra oficina em breve.

 

Passo a Passo Tingimento Vegetal

Se você tem interesse ou adquiriu nossos kits de tingimento vegetal, vamos ensinar um  um passo a passo com as nossas principais receitas. Você  pode adquirir nossos kits de tingimento (ervas + fixador) em nossa loja virtual.

A Macela – ou Marcela – é um dos símbolos do Rio Grande do Sul e em nossa tradição a erva colhida no amanhecer da sexta-feira santa, ainda molhada pelo sereno, é abençoada e traz ainda mais benefícios para a saúde.

Além de uma chá anti-inflamatório, imunoestimulante e calmante, essa erva traz uma cor amarelada linda aos nossos tingimentos.

Preparo:

  • Dilua 1/3 do fixador em água morna e deixe o material a ser tingido de molho nessa mistura;
  • Enquanto isso ferva a macela por 40 minutos, ou até extrair o tom de seu agrado; Lembrando que a cor final sempre vai ser mais clara que a vista na água.
  • Coe a erva – você pode reutilizar as folhas para fazer sachês perfumados para armários e gavetas.
  • Volte o líquido tintório para o fogo e misture o restante do fixador mexendo para diluir;
  • Mergulhe a peça – ou a parte dela – na mistura de pigmento e fixador e deixe mergulhado, em fogo médio, por em torno de 20 minutos, mexendo quando possível para evitar manchas;
  • Não puxe a peça por uma parte específica, a lã quando pesada pela água pode ceder e danificar a peça pronta;
  • Enxágue em água fria até que a água residual esteja límpida;
  • Estenda, na horizontal, sob uma mesa ou aparador e deixe secara sombra. Não pendure.

 

A Canela vem de uma pequena árvore chamada Caneleira, originária do Sri Lanka, no sul da Ásia. Ela é uma das especiaria mais antigas do mundo e uma das mais ricas em antioxidantes.

Ela ajuda a combater o colesterol, ajuda a controlar a diabetes e fornece uma cor marrom forte aos tingimentos.

Preparo:

A Canela é um material seco e por isso necessita de um pré preparo mais lento e delicado:

  • Ferva as cascas da canela por 40 minutos e deixe em repouso de molho de um dia para outro – no mínimo 12 horas.
  • Dilua 1/3 do fixador em água morna e deixe o material a ser tingido de molho nessa mistura;
  • Enquanto isso ferva novamente a canela por 40 minutos, até extrair um tom bem escuro. Lembrando que a cor final sempre vai ser mais clara que a vista na água.
  • Coe as cascas – você pode reutilizar a canela para fazer sachês perfumados para armários e gavetas.
  • Volte o líquido tintório para o fogo e misture o restante do fixador mexendo para diluir;
  • Mergulhe a peça – ou a parte dela – na mistura de pigmento e fixador e deixe mergulhado, em fogo médio, por em torno de 20 minutos, mexendo quando possível para evitar manchas;
  • Não puxe a peça por uma parte específica, a lã quando pesada pela água pode ceder e danificar a peça pronta;
  • Enxágue em água fria até que a água residual esteja límpida;
  • Estenda, na horizontal, sob uma mesa ou aparador e deixe secara sombra. Não pendure.

Sobre o fixador:

O ácido cítrico alimentício é produzido por fermentação submersa dos carboidratos da cana de açúcar, da cepa selecionada Arpergillus Niger.

É usado como conservante natural (antioxidante), sendo conhecido também como acidulante INS 330, dando um sabor ácido e refrescante na preparação de alimentos e de bebidas. Em bioquímica, é importante o seu papel como intermediário do ciclo do ácido cítrico, de forma que ocorre no metabolismo de quase todos os seres vivos.

É ainda usado como produto de limpeza ecológico.  Na limpeza, o ácido cítrico é uma substância que em contato com a água, resulta em uma solução de pH ácido, que dissolve completamente as incrustações de sujeira de pias, banheiras, azulejos e outras áreas.

Na indústria cosmética, o ácido cítrico pode ser utilizado para o ajustar do pH de cosméticos e produtos de higiene facial e corporal.

Fontes:

https://www.greenme.com.br/consumir/detergentes/6433-acido-citrico-utilidades-vantagens-contraindicacoes-onde-encontrar

https://www.tuasaude.com/beneficios-da-canela/

 

Lançamento Casa Modaut

Agora a Aurora tem um espaço físico aberto ao público em Porto Alegre: A Casa Modaut.

Na quinta-feira passada, dia 08/03, inauguramos esse lugar lindo, de energia incrível e que podemos chamar de nosso.

A Casa Modaut reúne cinco marcas residentes: Aurora, Colore, Lucas Moraes, Mudha e Sueka – com escritório e showroom – e vai receber diversas marcas convidadas!

A Casa é aberta ao público diariamente, das 10hs as 18hs e fica na rua mais charmosa do Bonfim, a Miguel Tostes. Junto com a marca mais amada de vestidos de noiva “O Amor é Simples” ocupamos e mantivemos viva a casa que abrigava a Pandorga.

Confere como foi o evento e cola na Miguel Tostes 897 para ver peças lindas, bater um bom papo e tomar um café.

Fotos: Rafael Bittencourt

Faça você mesma: como montar a sua horta caseira

Está pensando em cultivar o seu próprio alimento, mas tem pouco espaço na sua casa? Então acompanhe as nossas dicas que vamos te ajudar a montar a sua horta caseira até mesmo em pequenos espaços

Ter uma horta caseira é muito fácil e qualquer um pode fazer. Além de ter o prazer de cultivar o seu próprio alimento, cuidar da sua própria plantação também reduz seus gastos mensais de supermercado. E, sem dúvidas, os alimentos produzidos em casa são muito mais saudáveis, livres de agrotóxico e muito mais saborosos.

Não tenho espaço em meu apartamento, posso ter uma horta caseira?

Claro que sim! Para montar uma horta caseira, não é necessário ter um grande quintal. Em uma pequena varanda já é possível cultivar temperos, legumes e hortaliças (como alface, alecrim, manjericão e tomate, que são fáceis de cuidar). Você precisa somente de um espaço que receba sol pelo menos em um período do dia.

Horta caseira vertical é uma ótima opção para quem tem pouco espaço.
Horta caseira vertical é uma ótima opção para quem tem pouco espaço.
Outra opção de horta vertical.
Outra opção de horta vertical.

 

Como fazer a minha própria horta caseira?

Para fazer sua a horta, você vai precisar de
– uma jardineira
Horta caseira jardineira

– argila expandida
Horta caseira argila expandida

– terra preta
Horta caseira terra preta

– manta de bidim
Horta caseira manta de bidim

– uma pá pequena e tesoura.
Horta caseira pá
Horta caseira tesoura

Esses materiais são facilmente encontrados em lojas de jardinagem, é só procurar a mais perto de você. Usar garrafas pet ou canos de pvc no lugar da jardineira são alternativas mais baratas e que funcionam muito bem.

O que pode ser plantado na horta?

Você pode escolher entre mudas ou sementes. A muda permite a colheita mais rápida, enquanto as sementes demoram pelo menos sete dias para passar pelo processo de germinação. Outras opções que também podem ser facilmente cultivadas em casa são hortelã e orégano.

Ah! Não se esqueça de regar a sua horta pelo menos uma vez por dia.

Faça a sua própria horta caseira!
Faça a sua própria horta caseira!

Muito fácil não é mesmo? Cultivar a sua horta caseira é um ato de bondade com o meio ambiente – e nós apoiamos e adoramos

Inverno quentinho com lã sustentável Aurora

Nossa lã é sustentável, tingida naturalmente e tricotada a mão

Nosso dna é a lã! A Aurora Moda Gentil nasceu da paixão pela lã sustentável e natural, do respeito pelos animais e da vontade de fazer um mundo melhor! O resultado de tudo isso você encontra nos nossos produtos:

Nossas peças quentinhas são feitas com lã sustentável.
Nossas peças quentinhas são feitas com lã sustentável.

Tingimento: Usamos apenas corantes e pigmentos naturais para dar cor e brilho aos tecidos, sem agredir o meio ambiente. Buscamos no tingimento vegetal uma forma de economizar água, resgatar uma forma de trabalho tradicional e valorizar as belas cores que a natureza pode nos emprestar. Além disso, esse método de tingimento torna as peças únicas e exclusivas.

Usamos apenas corantes naturais para tingir nossas peças feitas com lã sustentável.
Usamos apenas corantes naturais para tingir nossas peças feitas com lã sustentável.
Cachecol quetinho feito de lã sustentável para te aquecer no inverno.
Cachecol quetinho feito de lã sustentável para te aquecer no inverno.
Peças exclusivas de lã sustentável feitas à mão.
Peças exclusivas de lã sustentável feitas à mão.

Feito à mão: Nossos produtos são feitos à mão por artesãs de Dom Pedrito além de fornecerem a mão de obra para as peças em tricô, recebem apoio e assistência social com uma remuneração justa. Através da especialização do trabalho empoderamos redes de mulheres que estão em nossa cadeia produtiva.

Nossas artesãs de Dom Pedrito.
Nossas artesãs de Dom Pedrito.

Faça parte da nossa família. A moda pode ser um poderoso instrumento de transformação social e cultural.

Espiritualidade e consumo: como comprar influencia em nosso lado espiritual

Sabia que nossos hábitos de consumo estão ligados com o nosso equilíbrio espiritual? Se você quer saber mais como funciona a relação entre espiritualidade e consumo, vem com a gente:

Espiritualidade e consumo estão intimamente ligados. Consumir reflete as nossas crenças e valores de vida, e os nossos hábitos de compra também são influenciados pelo que acreditamos.

De acordo com pesquisadores, consumir pode ser uma experiência sagrada e transcendente. Por exemplo, em vez de buscar essa transcendência na religião, os consumidores a encontram nas compras. Além disso, eles dão significados muito maiores para os objetos que compram, e não os vêem como simples objetos.

Espiritualidade e consumo.
Espiritualidade e consumo.

Por isso, as pessoas encontram espiritualidade em qualquer tipo de consumo. Por exemplo, ao comprar por achar que merece aquilo como prêmio, o consumidor relaciona-se com as compras de maneira recompensadora. Ou, quando está se sentindo mal e quer preencher algum vazio, ele compra como válvula de escape para seus problemas.

Com isso, esse “prêmio” carrega em si uma características de espiritualidade. Comprar é um símbolo de felicidade, de bem-estar e, por outro lado, é também a solução de uma tensão.

Devemos buscar a espiritualidade dentro de nós mesmos.
Devemos buscar a espiritualidade dentro de nós mesmos.

O que devemos buscar é a espiritualidade dentro de nós mesmos, sem depender de algo externo para sentir alegria. Isso vale também para aquilo que nós compramos: é fundamental ter consciência do que estamos adquirindo, se o produto tem qualidade e se a sua produção é sustentável. Isso também está intimamente ligado com a espiritualidade, sendo que aquilo que consumimos reflete diretamente em nossas crenças e valores.

Nossos hábitos de consumo estão diretamente relacionados com o nosso equilíbrio espiritual.
Nossos hábitos de consumo estão diretamente relacionados com o nosso equilíbrio espiritual.

Quando nos sentimos bem com nossos hábitos e consumimos produtos que realmente fazem sentido para a nossa vida, o equilíbrio espiritual entra junto com esse pacote de ações e energias positivas.

E você, concorda que nossos hábitos de consumo influenciam em nossa espiritualidade? Conta pra gente nos comentários.

Dica de sustentabilidade: como reaproveitar as roupas que não uso mais?

Sabia que você pode reaproveitar suas peças de roupas antigas e transformá-las em novos objetos? A gente te conta essa dica de sustentabilidade com detalhes:

Você já separou diversas peças de roupas do seu armário que não usa mais, e ainda não sabe o que fazer com elas? Algumas estão muito velhas para serem doadas, outras não valem a pena vender, e outras simplesmente guardam aquele seu carinho especial. Pois você sabia que pode reaproveitar qualquer tipo de tecido que tem na sua casa!? Isso mesmo! A dica de sustentabilidade de hoje é como utilizar essas peças antigas novamente.

Dica de sustentabilidade: aproveite as peças de roupa que você não usa mais.
Dica de sustentabilidade: aproveite as peças de roupa que você não usa mais.

Quando reaproveitamos os tecidos das roupas que não usamos mais, além de evitar que as estampas mais bonitas acabem no lixo, também estamos cuidando do meio ambiente.

E é possível, sim, reaproveitar os seus tecidos, basta dar uma nova função àquelas peças. Veja algumas dicas de sustentabilidade que podem transformar as suas roupas antigas em novos objetos cheios de estilo:

1- Você pode cortá-las em retalhos e uní-los em um patchwork, para ser usado como colcha, manta, jogo americano ou tapete;

Tapete de retalhos.
Tapete de retalhos.

2- Você pode costurar vários retalhos e fazer um lindo jogo americano;

Jogo americano.
Jogo americano.

3- Deixe o seu abajur antigo novinho em folha ao reformar a sua cúpula com o tecido de uma ou várias roupas antigas;

Abajur de retalhos.
Abajur de retalhos.

5- Para deixar seus cabides ainda mais bonitos e antiderrapantes, cubra-os com amarrações de tiras de tecidos de roupas antigas;

Cabide de retalhos.
Cabide de retalhos.

6 -Você pode fazer um porta-lenços estiloso com os retalhos das suas roupas sem uso;

Porta-lenços feitos com roupas antigas.
Porta-lenços feitos com roupas antigas.

7- Use os tecidos das roupas que não poderão ser doadas para fazer ecobags, bolsas, nécessaires e porta documentos;

Bolsa de retalhos.
Bolsa de retalhos.

8- Personalize seu próprio colar usando diversas tiras de blusas de malha amarradas e trançadas.

Dica de sustentabilidade: faça um colar com as roupas que você não usa mais.
Dica de sustentabilidade: faça um colar com as roupas que você não usa mais.

Ufa, são tantas opções! Certamente, alguma delas te conquistou e, vai por nós, também achamos essas dicas incríveis. Ah, depois mostra pra gente como ficaram seus novos objetos feitos com roupas antigas lá nos comentários.

Desinfetante natural – Como fazer o seu?

Uma alternativa para não usar mais produtos de limpeza cheios de agentes químicos é fazer o nosso próprio desinfetante natural em casa, com ingredientes que não poluem o meio ambiente. A gente te mostra duas receitas para fazer em casa:

Existem diversos ingredientes naturais e de fácil acesso que podemos usar como alternativa aos produtos químicos utilizados para faxinar a casa. Além de limparem muito bem, esses ingredientes não poluem o nosso lar. Vamos te mostrar duas receitas de desinfetante natural para você fazer em casa.

Receita 1 – Eucalipto

Ingredientes:
2L de água
1L de álcool de limpeza – de preferência 70º ou mais.
125mL de sabão de coco ralado
Cerca de 20 folhas de eucalipto

Eucalipto
Eucalipto

Como fazer:
– Coloque as folhas de eucalipto em pote de vidro de 1 litro com tampa e complete com álcool;
– Deixe descansar por 2 dias, para que o princípio ativo das folhas seja extraído o que vai promover a ação desinfetante. As folhas irão perder a cor e o álcool ganhará uma coloração verde escura;
– Ferva 500mL de água com o sabão em fogo baixo, mexendo sempre, até dissolver;
– Depois, misture 250mL da mistura de eucalipto com 1 litro e meio de água;
– Seu detergente de eucalipto está pronto!

Desinfetante natural
Desinfetante natural

Receita 2 – Limão

Como fazer:
– Junte as cascas dos limões que você já utilizou anteriormente em um pote de vidro com água;
– Bata essa mistura no liquidificador;

Limão
Limão

– Coe e deixe a mistura fermentar por 24 horas – tempo necessário para ativar a ação desinfetante do limão;
– Depois das 24 horas, acrescente 2 colheres de sopa de álcool e pronto!

Faça o seu próprio desinfetante natural de limão.
Faça o seu próprio desinfetante natural de limão.

Muito simples, não é? Além desses benefícios, os ingredientes usados para fazer os detergentes são muito baratos, e você também estará ajudando o meio ambiente.

Nossas artesãs: conheça um pouco mais de quem trabalha com a gente

A nossa família é formada por artesãs que trabalham com muito amor e carinho na elaboração de cada uma de nossas peças. Vem conhecer um pouco mais da nossa história:

Por meio do trabalho artesanal, conseguimos promover um resgate feminino, através da valorização das artesãs que fazem parte da nossa família.

Prezamos pela qualidade em cada detalhe de nossas peças. Foto - Camila Pinheiro
Prezamos pela qualidade em cada detalhe de nossas peças. Foto – Camila Pinheiro

A maioria das nossas peças são feitas por artesãs da cidade de Dom Pedrito, interior do Rio Grande do Sul. Através de oficinas de capacitação profissional, estimulamos as artesãs a aprenderem mais e a aperfeiçoar suas técnicas. Por isso, todas produzem aquilo que mais tem afinidade e, dessa forma, cada peça é feita com muito mais amor e carinho.

Além disso, a remuneração das nossas artesãs é paga por produto, e não por hora. Isso permite que elas tenham um retorno financeiro justo, além de terem mais qualidade de vida e trabalharem com muito mais prazer.

Cada detalhe de nossas peças é cheio de amor e dedicação das nossas artesãs
Cada detalhe de nossas peças é cheio de amor e dedicação das nossas artesãs
A nossa artesã, Gelcy.
A nossa artesã, Gelcy.

Ah, e você sabia que cada uma de nossas peças é assinada pela artesã que a produziu? Você encontra o nome dela na etiqueta da roupa. Essa é uma forma de levar um pedacinho da história de cada uma.

Aqui no blog, já contamos a história da Gelcy, que aprendeu a tricotar quando ainda era criança. E da Elisete, que além de confeccionar várias peças, ministra os cursos de capacitação das artesãs da Aurora no interior do Rio Grande do Sul.

Em nossa família, nós valorizamos muito o trabalho manual e prezamos pela qualidade de vida das nossas artesãs. Aqui, nós também produzimos peças especiais e cheias de amor!

3 documentários do Netflix para te ajudar a repensar sobre consumo

O Netflix está cheio de conteúdo interessante sobre os mais diversos assuntos. Nós elegemos 3 documentários da plataforma que irão te ajudar a repensar sobre consumo:

Tem muito conteúdo interessante no Netflix, entre filmes, séries e documentários. Hoje, nós vamos te dar dicas de três documentários que vão te ajudar a repensar o consumo, um assunto muito importante e que deve ser questionado em nosso dia a dia.

The True Cost (2015)

O documentário de 92 minutos, dirigido por Andrew Morgan, aborda a indústria da moda e fala sobre o consumo exacerbado, os impactos ambientais das indústrias têxteis e o resultado desse tipo de produção de roupas para o planeta.

Documentários: The True Cost
Documentários: The True Cost

Ele mostra o outro lado do mercado fashion, e é interessante para qualquer público, pois oferece alternativas para esse tipo de consumo. Além disso, ele mostra a importância da gente saber onde nossas peças foram fabricadas e porque devemos nos preocupar com as condições sociais daqueles que as produzem.

Cowspiracy (2014)

Com produção executiva de Leonardo Di Caprio, e dirigido por Kip Andersen e Keegan Kuhn, o documentário mostra como a criação de animais para abate e a pesca predatória são prejudiciais ao nosso planeta.

Documentários: Cowspiracy
Documentários: Cowspiracy

Além disso, o documentário foca nas soluções, naquilo que já existe como alternativa viável para os produtos de origem animal. Ao assistirmos ao longa, notamos quanto o veganismo é vinculado à compaixão animal, mas também tem uma relação direta com a saúde e o meio ambiente.

The Ivory Game (2016)

Também produzido por Leonardo Di Caprio, The Ivory Game (O Extermínio do Marfim, em português) mostra a caça ilegal de elefantes para suprir a demanda por marfim, e como isso está levando os animais à extinção.

Documentários: The Ivory Game
Documentários: The Ivory Game

O documentário foi filmado durante 16 meses na China e na África, com uma equipe de agentes de inteligência, ativistas, guardas florestais, que se infiltraram nessa rede de corrupção do tráfico de marfim.
Ele é fundamental para nos ajudar a pensar de que maneira podemos mudar os nossos hábitos, e a repensar sobre o que e como estamos consumindo.
Você já assistiu algum desses documentários? Conta pra gente o que achou aqui nos comentários, e se eles também te ajudaram a repensar o consumo.